prazersecreto

prazersecreto
muito prazer

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Realizando nosso desejo de me fazer corno.

Realizando nosso desejo de me fazer corno.

Casados há 36 anos, eu e minha esposa Célia sempre tivemos uma vida normal como todos os casais. De uns 5 anos pra cá, como não tenho mais tanta ereção, sonho em dar a ela mais prazer e quero vê-la sendo possuída por outro homem. Ela diz que não tem necessidade. Ela só permitia em nossas transas que eu a imaginasse, e ela também, sendo comida por um outro homem com pau maior e mais grosso que o meu sendo arrombada como se ainda fosse virgem, falava ?Olha seu corno, isso é que é homem, era isso que você queria ver? Sua mulher sendo fodida por outro pau? Isso é que é pinto?. E assim as coisas caminhavam. Contratamos um pintor, Ivo, para pintar nosso apartamento. Ivo é um negro magro mas forte e até que é bonito. Como é de confiança e tínhamos compromisso, pedimos para deixar a chave na portaria pois voltaríamos tarde. Como o churrasco a que fomos estava muito chato decidimos voltar para casa cedo. Vendo-se sozinho Ivo tomou um banho após o trabalho e nu saiu do banheiro ao mesmo tempo em que entramos. Célia parou com os olhos arregalados colados naquele negro nu com um pau avantajado. Ele também parou nos olhando, os dois não se mexiam e nem eu, Célia não tirava os olhos da piroca negra. Percebi que sua respiração estava um pouco acelerada então eu disse prá ela ir lá pegar. Ela, ainda vermelha olhou para mim, sorri e ela deu um passo a frente, Ivo pegou sua mão e a levou para seu pauzão. Célia o agarrou e parecia que não iria soltar nunca, ainda estava em transe. Vendo que eu só sorria Ivo a abraçou e tascou um beijo em sua boca. O que mais me impressionou foi o tamanho do pintão do Ivo que mole, era o meu duro!!! Falei para relaxarem e apontei em direção à cama, como um robô ela passou do meu lado com um sorriso maroto, perguntando se eu realmente não ficaria com ciúme, mostrando minha situação disse que lhe dar prazer era o meu maior sonho. Ivo nada dizia, deitou-se de costas puxando a cabeça dela para seu pau duro. Qual não foi minha surpresa ao vê-la ajoelhar e atende-lo prontamente, sem falar nada, pegou aquele caralhão na mão e foi direcionando à sua boca dizendo: ?Isso sim é um pinto que dá prazer em chupar?. Naquele momento fiquei com mais tesão ela estava com o de um estranho, e negro, na sua boca e chupava com muita vontade e maestria. Dizendo que era irresistível. Eu feliz, muito duro como há muito não ficava. Em poucos minutos o pau do cara estava duro enorme e grosso e já quase não cabia direito na boca da Célia. Ele disse que ia gozar. Ela então me causou outra surpresa. Deixou ele gozar em seu rosto e a boca ainda recebeu uns pingos ela ainda ficou chupando aquele caralho monstruoso depois de gozado. Isso me deu muito tesão e ela me chamou e disse: ?Vem me dar um beijo, seu corno, era isso que você queira? Então beija essa boquinha gozada? Beijei-a com aquele gosto de porra que ainda estava em seus lábios enquanto Ivo passava a língua em sua bucetinha. Ela ofegante dizia ?Amor, esse cara chupa muito bem estou quase gozando...?. De repente ela para de me beijar e fala pro Ivo ?Não para, não para Negão que eu to gozando?. Depois ela falou que só daria prá ele se antes eu pegasse o pau dele chupasse e masturbasse já que era um sonho dela, não tive dúvidas, peguei o cacete meti a boca comecei a masturbar, qualquer coisa para realizar o sonho, até que era gostoso, e quando vi o tesão dela dirigi à sua xaninha que até então tinha sido só minha. Comecei a pincelar a entrada massageando aquela grutinha molhadinha e o cacete dele, ela muito branca e o cacete muito negro, ela pedia pra enfiar logo, pois não agüentava mais de desejo de conhecer o sabor de uma pica negra. Então me afastei e o rapaz começou a enfiar a cabeça na bucetinha da Célia. Ela pediu pra ir bem devagar pois aquilo estava arrombando ela, como se ainda fosse virgem. Gemia loucamente. Dali a alguns minutos ela estava com a pica grossa de outro homem inteirinha dentro dela. Me olhando dizia: ?Ai que delícia de pau, isso sim é que é um pinto de verdade, não essa merdinha que você tem seu corno, era isso que você queria? Se eu soubesse que era tão bom e o que eu estava perdendo já tinha realizado teu desejo há muito tempo?. Eu gozei só de ver e ouvir aquilo tudo. Eu era um homem realizado. Ela gozou múltiplas vezes naquele pinto enorme e ele, como estava de camisinha gozou dentro dela. Depois ele perguntou se ela queria levar atrás também. Ela disse ?Claro que não, esse pinto é muito grande e eu não vou agüentar? Aí ele prometeu colocar só a cabecinha e ela disse que se fosse só a cabecinha podiam tentar. Ele lubrificou a cabeça em sua vagina, encostou e foi colocando bem devagar e pra minha surpresa eu estava duro de novo, ela pedia pra ele enfiar mais, mas quando a cabeça entrou ela deu um grito falando que doía muito e ele parou e tirou. Com ela de quatro, vi seu pauzão sumir em sua xoxota até as bolas começarem a bater na bucetinha da minha esposa. Dois dedos dele sumiram em seu cuzinho. Ela dizia ?Olha tua mulher sendo comida por outro homem seu corno. Ivo me fode com esse pau delicioso. Me arromba com esses dedos. Mas não vou dar ele para você, só pro meu outro homem. Você só vai ter direito de comer a minha buceta?. Ela gozou muito e eu também. Ivo gozou sempre de camisinha. Levei Ivo a um ponto de ônibus, disse que um dia chamaremos para um ?orçamento?. Minha esposa estava muito feliz e satisfeita e eu também. Ela me agradeceu muito e confessou que se soubesse que era tão bom há muito teria aceitado, que não sentia tanto prazer há bastante tempo e enfatizou que nunca mais daria o cuzinho para ninguém.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário