prazersecreto

prazersecreto
muito prazer

terça-feira, 21 de agosto de 2012

foi assim 03

Continuando…
Fiquei olhando ele sentado na cadeira com um sorriso de satisfação, cansado e de pau mole, pus novamente a calcinha no lugar, abaixei-me até ajoelhar no chão, beijei o cacete que a pouco estava no meu cu, depois limpei com a boca, lambi cada dobra até deixar bem limpinho, dei um novo beijo e fui até o banheiro limpar a porra que espalhava em minha bunda, meu cu estava aberto, cabiam fácil três dedos, mas eu estava feliz, sorria feito bobo olhando espelho, até que meu homem me chamou, mandou que levasse um copo de água para ele, rapidamente levei, ele me mandou ficar perto dele, sentei no chão e abracei sua perna deitando com a cabeça bem próximo a seu cacete, ele pos a mão no cabelo e ficou alisando.
Então, gostou? Perguntou ele, assenti com cabeça. Fui realmente o primeiro? Respondi que sim e comecei a contar minha historia, enquanto falava de como me vestia de menina, de como fantasiava e dos consolos que fazia fiquei alisando seus pentelhos, brincando com seu saco e beijando seu cacete que começava a dar sinais de vida, contei também de como tinha ido até a loja comprar a calcinha, então ele me perguntou do consolo que tinha usado e me pediu para mostrar pra ele, fui até o banheiro e trouxe, ele olhou e me mandou virar de costas e me apoiar na mesa, assim fiz, ele baixou a calcinha e ficou brincando com meu cu esfregando o consolo até que enfiou tudo, eu gemi novamente, ele ficou fazendo movimentos de vai e vem por alguns instantes até que empurrou bem fundo e colocou novamente a calcinha deixando bem entrada na minha bunda, deu uns três tapas na minha bunda e voltou a sentar na cadeira. Eu voltei a sentar no chão abraçado as suas pernas e com o consolo enfia no cu.
Nesta posição perguntei a ele pq ele tinha me encoxado no dia anterior, ele respirou fundo, primeiro mandou-me chupar seu saco e depois falou que desde que me conhecera já havia notado meu jeito de viadinho e que por várias vezes tinha me pegado olhando para o seu pau, o que eu sabia ser verdade. Conversamos por algum tempo, enquanto ele falava eu chupava seu pau e suas bolas só parando quando respondia alguma coisa ou falava algo. Ele me mandou levantar, levantei, ficar de costas, fiquei, dobrar o corpo, dobrei, ele baixou minha calcinha sem tirar, abriu minha bunda e tirou bem devagar o consolo, meu cu esta aberto, ele então enfio três dedos o Maximo que pode e ficou empurrando e tirando, comecei a sentir meu corpo quente novamente, pus a mão para traz e peguei seu pau, estava duro, oba iria ser comido novamente, ele me pegou pelos cabelos e me abaixou no chão, achei que queria outra chupada, mas não me pos de quatro até meu rosto encosta no chão e minha bunda ficar nem exposta, parou atrás de min e com os dedos do pé ficou bolinando meu cu abaixou-se e desferiu vários tapas em bunda, dos dois lados, tapas leves que faziam barulho mas não machucavam muito, só deixaram minha bunda vermelha. Ele me mandou tirar a camiseta e encostar o rosto no chão, assim fiz, então enfiou o cacete de uma só no cu, se dó, eu gritei um ai alto e fino e ele começou a socar com violência, minha bunda tremia a cada estocada que ele dava, o pau quase saia do meu cu e se alojava novamente no fundo em frações de segundo, meu homem metia com raiva, queria me fazer sofrer e eu delirava com aquele sofrimento, estava até babando no chão. Então ele tirou o cacete e me fez virar e chupar, socou uma quatro o cinco vezes na minha boca e voltou a me virar e enfiar no meu cu, sem dó alguma, assim fizemos várias vezes, ele só dizia “chupa” e eu virava e chupava, ele dizia “volta” e eu voltava e levava no cu novamente, por vezes ele levantava o corpo ficando quase de pé mas com as pernas dobradas para enfiar mais fundo no meu cu. Ficamos assim por quase uma hora, meus joelhos doíam, meu cu ardia, minha boca estava dormente de tanto chupar mas eu estava adorando, foi quando ele mandou eu me masturbar, por incrível que possa parecer meu pinto babava de tanto tesão mas estava mole e bem pequeno escorrendo um pré-gozo, não demorou muito e gozei, molhei o chão com minha porra enquanto meu homem socava fundo meu cu, foi um dos melhores gozos de minha vida, mesmo socando e acho transtornado por tudo que acontecia, meu macho me mandou lamber meu próprio gozo e ele lambi quando ele tirou o pau do meu cu, me deitou no chão e gozou fartamente em cima do meu corpo, me lambuzou de porra, depois ajoelhou-se do meu lado e me fez limpar seu pau, levantou-se pos a roupa e sem me dizer nada foi embora me deixando deitado no chão, com o cu arreganhado e todo molhado de porra, mas feliz com um largo sorriso na boca, alem da porra é claro.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário